Argamassa para Revestimeno Interno e Externo - Ficha Técnica

Ficha TécnicaAPRESENTAÇÃO
A ARGAMASSA PARA REVESTIMENTO INTERNO E EXTERNO é um produto composto por cimento cinza, cal hidratada, areias selecionadas e aditivos químicos, em estado seco e homogêneo, ao qual o usuário somente necessita adicionar a quantidade de água requerida.

Ficha TécnicaINDICAÇÃO
É indicada para o revestimento interno e externo de paredes (emboço e reboco) e no assentamento de blocos cerâmicos e de concreto em alvenarias de vedação e reformas diversas.

Ficha TécnicaEMBALAGEM
Sacos valvulados de 20 e 50 kg.

Ficha TécnicaVALIDADE
180 dias da data de fabricação, marcada na embalagem.

Ficha TécnicaESTOCAGEM
Deve ser armazenado em local seco, arejado, e protegido das intempéries, sobre estrados de madeira, em pilhas de no máximo 15 sacos.

Ficha TécnicaCARACTERÍSTICAS TÉCNICAS
Atende às seguintes prescrições da norma técnica brasileira “NBR 13281‐ Argamassa para assentamento e revestimento de paredes e tetos ‐ Requisitos”, sendo classificada como P4‐M5‐D4‐U3‐A3

CARACTERÍSTICA NORMA CATEGORIA EXIGÊNCIA VALEMASSA
Resistência à compressão NBR 13279 P4 4,0 a 6,5 MPa 6,0 MPa
Densidade de massa aparente no estado endurecido NBR 13280 M5 1600 a 2000 kg/m³ 1830 kg/m³
Densidade de massa aparente no estado fresco NBR 13278 D4 1600 a 2000 kg/m³ 1880 kg/m³
Retenção de água NBR 13277 U3 80 a 90% 84%
Resistência potencial de aderência à tração NBR 15258 A3 > 0,30 MPa > 0,30 MPa

Ficha TécnicaNORMAS PARA A UTILIZAÇÃO
Para assegurar o bom desempenho do produto deve ser observado o disposto nas seguintes normas técnicas da ABNT:
• NBR 7200: Execução de revestimento de paredes e tetos de argamassas inorgânicas – Procedimento; e
• NBR 13749: Revestimento de paredes e tetos com argamassas inorgânicas ‐ Especificação.

Ficha TécnicaPREPARO DA BASE PARA APLICAÇÃO
As bases de revestimento devem atender às exigências de planeza, prumo e nivelamento fixadas nas respectivas normas de
alvenaria e de estruturas de concreto. Devem, ainda, ter as seguintes idades mínimas:
• 28 dias de idade para estruturas de concreto e alvenarias armadas estruturais; e
• 14 dias de idade para alvenarias não armadas estruturais e alvenarias sem função estrutural de tijolos e blocos cerâmicos ou de concreto, admitindo‐se que no caso de blocos de concreto estes tenham sido curados durante pelo menos 28 dias antes da sua utilização.
A aderência do revestimento está relacionada com o grau de absorção da base, que propicia a microancoragem, e com a textura
superficial que contribui para a macroancoragem, assim o preparo da base deverá ser feito de acordo com o seguinte:
• concreto com superfície muito lisa: apicoar o concreto ou aplicar jato de água sobre o concreto recém desformado e aplicar chapisco com aditivo que melhore a aderência;
• concreto com superfície áspera e blocos de concreto: aplicar o chapisco sobre a superfície seca; e Deve ser observada a presença de infiltrações de umidade nos planos a serem revestidos, definindo‐se as soluções para eliminação das infiltrações antes de prosseguir com os demais procedimentos de preparação da base.
A base do revestimento deve ser regular para que a argamassa possa ser aplicada em espessura uniforme, para tal deve ser
observado o seguinte:
• retirada de pontas de ferro das peças e as rebarbas entre juntas da alvenaria;
• correção de depressões, furos e rasgos, de acordo com o seguinte:
⇒ enchimento com argamassa, das falhas com profundidade menor do que 50 mm;
⇒ correção dos rasgos feitos para instalação das tubulações com diâmetros superiores a 50 mm, através da colocação de tela metálica e enchimento com cacos de tijolos e blocos; e
⇒ enchimento das falhas com mais de 50 mm de profundidade, em pelo menos duas etapas defasadas de 24 horas.
Em bases compostas por diferentes materiais e submetidas a esforços que gerem deformações diferenciais (tais como balanços,
platibandas e últimos pavimentos), deve se utilizar tela na junção destes materiais, criando uma zona capaz de suportar as
movimentações diferenciais. Alternativamente, pode ser especificada a execução de uma junta que separe o revestimento aplicado
sobre os dois materiais, permitindo que cada um movimente‐se independentemente.
A base a ser revestida deve estar limpa, livre de pó, graxa, óleo, eflorescência, materiais soltos ou quaisquer produtos ou incrustações que venham a prejudicar a aderência do revestimento.
A argamassa de chapisco deve ser aplicada de forma vigorosa e com uma consistência fluida, assegurando maior facilidade de penetração da pasta de cimento na base e melhorando a aderência na interface base‐revestimento.
Em regiões de clima muito seco e quente, o chapisco deve ser protegido da ação direta do sol e do vento através de processos que mantenham a umidade da superfície, no mínimo por 12 horas, após a aplicação.

Ficha TécnicaPREPARO DA ARGAMASSA
Para o preparo da argamassa, acrescentar 7,0 a 8,0 litros de água para cada saco de 50 kg (2,8 a 3,2 litros para sacos de 20 kg) e misturar em betoneira por um tempo mínimo de 3 min, ou em argamassadeira, ou ainda manualmente até a perfeita homegeneização.
O volume de produção de argamassa deve ser controlado de modo que seja consumido em um prazo máximo de 2:30h. Só é permitido o reamassamento com adição de água suplementar dentro dos períodos de tempo estabelecidos.

Ficha TécnicaAPLICAÇÃO DA ARGAMASSA DE REVESTIMENTO
Os serviços de revestimento devem ser iniciados após a definição exata do sistema de revestimento, para o qual exige‐se o seguinte:
• ser compatível com o acabamento decorativo (pintura, revestimento cerâmico, etc.);
• ser constituído por uma ou mais camadas superpostas de argamassa contínuas e uniformes (nunca deve ser colocada uma camada mais resistente sobre a anterior menos resistente);
• resistir à ação de variações normais de temperatura e umidade do meio.
A aplicação da argamassa de emboço deverá ser feita após 3 dias da aplicação do chapisco; para climas quentes este prazo poderá ser reduzido para 2 dias.
A espessura (e) dos revestimentos externos e internos deverá ser de acordo com a tabela seguinte:

Revestimento Espessura (mm)
Parede interna 5 < e < 20
Parede externa 20 < e < 30
Teto interno e externo e < 20

O revestimento com espessura máxima de 3 cm deve ser feito em uma única camada de argamassa. Havendo necessidade de aumentar a espessura até 5 cm, executar o revestimento em duas cheias, observando‐se o intervalo de pelo menos 16 horas entre as cheias. Para espessuras superiores a 5 cm consulte um especialista em revestimentos.

O plano do revestimento será determinado através de pontos de referência dispostos de forma tal que a distância entre eles seja compatível com o tamanho da régua utilizada. Nestes pontos devem ser fixadas taliscas de madeira ou cacos planos de material cerâmico com a argamassa para Revestimento Interno e Externo.

Uma vez definido o plano do revestimento, faz‐se o preenchimento de faixas, entre as taliscas, empregando‐se a argamassa para Revestimento Interno e Externo, que será regularizada pela passagem de régua, constituindo guias ou mestras.

Após a execução das guias ou mestras, aplica‐se a argamassa, lançando‐a vigorosamente sobre a superfície a ser revestida, com o auxílio da colher de pedreiro até preencher a área desejada.

Estando a área totalmente preenchida e a argamassa adquirida consistência adequada, faz‐se a retirada do excesso de argamassa e a regularização da superfície pela passagem da régua. Em seguida preenchem‐se as depressões mediante novos lançamentos de argamassa nos pontos necessários, repetindo‐se a operação até conseguir uma superfície cheia e homogênea.

Ficha TécnicaACABAMENTO
Podem ser executados os seguintes tipos de acabamento:
• sarrafeado: manter o acabamento resultante do procedimento acima descrito;
• desempenado: executar o alisamento da superfície sarrafeada através da passagem da desempenadeira;
• camurçado: executar o alisamento da superfície desempenada com a passagem de esponja ou desempenadeira apropriada;
• raspado: executar o acabamento da superfície sarrafeada por meio da passagem de ferramenta denteada; e
• chapiscado: executar o acabamento sobre o emboço por meio do lançamento de uma argamassa fluida, através de peneira de malha quadrada com abertura de 4,8 mm.

Ficha TécnicaCURA
O revestimento de argamassa deverá ser mantido úmido pelo prazo mínimo de 7 dias de forma a evitar a secagem prematura da argamassa e as suas conseqüências negativas como a fissuração e a baixa resistência mecânica. É através da hidratação do cimento que a argamassa desenvolverá uma resistência de aderência à base adequada, além de assegurar a impermeabilidade e a durabilidade do revestimento.
A aplicação do acabamento decorativo poderá ser feita depois de decorridos 21 dias da aplicação da última camada de argamassa.

Ficha TécnicaCONSUMO / RENDIMENTO
1 saco de 50 kg rende de 2,70 a 3,00 m²/cm de espessura; ou
16 a 19 kg/m²/cm de espessura; ou
No assentamento de blocos, 1 saco de 50 kg fecha 4,8m² de alvenaria ou aproximadamente 60 blocos 9x19x39
32 sacos/m³ de argamassa fresca.

Ficha TécnicaSEGURANÇA
Produtos contendo cimento e cal, em contato com a pele provocam irritação e queimaduras. Use luvas de borracha, roupas com mangas e pernas compridas e óculos de proteção durante o manuseio do produto. Em caso de contato com os olhos, lave‐os com água corrente e procure um médico imediatamente. Em caso de contato com a pele, lave o local atingido com muita água corrente. Em caso de ingestão, procure um médico imediatamente. Mantenha as embalagens fechadas fora do alcance de crianças.

A VALEMASSA não se responsabiliza por usos indevidos e descuidados do produto.